quarta-feira, 8 de agosto de 2007

Verso e reverso

...E diante de tantas possibilidades de ser...me perco. Escolher é mais retirar algo de mim do que colocar algo no mundo. Escolher é aprisionar para sempre uma abstração. O futuro não é mais que o desterro de tantas rotas e rumores. E quantas passagens de paisagens nulas, erros do devir, acontecimento feito e morto. E o desejo de ser não ser um nome...

...E o reverso é conviver com verdadeiros fantasmas. Tudo aquilo que eu não fui - passado, presente e futuro - me assombra. Como numa condenação. E quantos eu já deixei de ser! Quantos! Meu presente funda mais cemitérios do que toda a humanidade. E quantos enterros infundados, sombras de mim, lápides sem textos.E o desejo de ser um nome...

2 comentários:

Toni disse...

Tentando ser, somos...e essa amálgama de erros e acertos, acaba por nos forjar.

abração irmão !

Cacau disse...

Leia o texto "errar" do blog http://mandaram.blogsome.com/

Tem relação com esse seu post...